MEMÓRIAS SECRETAS (Remember)


Uma jornada sentimental de vingança

Filmes sobre holocausto existem de todos os jeitos e todas as formas. Personagens que passaram por essa tragédia são recorrentes no mundo do cinema, então a proposta abordada em Memórias Secretas é bastante interessante.

O protagonista Christopher Plummer - que tem no seu currículo um Oscar - interpreta Zev Guttman, sobrevivente judeu do Campo de Concentração de Auschwitz que aos 80 anos fica viúvo e com ajuda de um amigo Max Zucker (Martin Landau), decide ir atrás do homem que matou sua família na 2° Guerra Mundial.


Plummer é um grande ator - isso pode ser comprovado em sua filmografia - cheio de versatilidade, contudo o reconhecimento é recente. No filme ele consegue passar toda a fragilidade de seu personagem, perdendo a memória. Seu trabalho corporal é fascinante - além de ser muito bonito e tocante - contudo sente-se que a história tinha mais a oferecer.


O roteiro de Benjamin August é bastante emotivo. Pavimentando este caminho de redescobrimento, conta uma história de redenção e vingança, foge dos clichês e estrutura-se em algo sentimental.

A montagem coloca o ritmo do filme em risco, abordando atos desnecessários e prejudicando a construção sutil de seu protagonista.


O elenco de apoio não consegue acompanhar a delicada interpretação de Plummer, mas não é algo que prejudica o filme e até conseguem entregar um final convincente, com a carga sentimental proposta.


A direção de Atom Egoyan (À Procura, 2014 e Sem Evidências, 2013) é segura, sabe conduzir o filme com dois dos melhores atores em atividade e deixa a mensagem de que nunca devemos esquecer do passado, pois às vezes ele pode estar porta afora esperando por nós.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now