CRÔ EM FAMÍLIA


Isso sim é uma Missão Impossível

Volta à telona o personagem Clodoaldo Valério - da novela Fina Estampa (Aguinaldo Silva, 2011) -, mais conhecido como Crô. Nesta nova saga intitulada de Crô em Família, o sujeito montou uma escola de etiqueta e é deixado pelo namorado, quando surge uma família alegando serem seus pais, irmão cunhada e sobrinha.


A história tenta, mas é tão rasa que até uma criança - grande público que o personagem conseguiu cativar - é capaz de levantar problemas de verossimilhança, como o rico e ardiloso protagonista aceitar como sua, uma família pobre cuja forma de comprovar o parentesco é uma mancha na nádega que todos os homens tem. Isso em pleno século 21!


O roteiro também falha ao esquecer completamente o que aconteceu eu sua saga anterior Crô - o filme (Bruno Barreto, 2013). Da outra vez, o protagonista adota uma menina estrangeira que sequer é mencionada agora. Nem a tentativa de inserir os excelentes Luís Miranda - no papel da travesti Dorothy - e Marcus Majella - novamente com o seu Ferdinando conseguem salvar o filme que tem ainda nomes com Arlete Salles, Tonico Pereira, Fabiana Karla e Monique Alfradique.

O roteiro apela novamente para o clichê do pobre que não sabe comportar-se à mesa, lançando mão da funkeira Jojô Toddynho para fazer uma cena que beira a escatologia.


Os diálogos ainda forçam a barra utilizando o Pajubá (dialeto muito utilizado pela comunidade GLBT) para tentar fazer graça e agradar a este público, mas na boca de Marcelo Serrado soa como um elefante caminhando numa lonja de cristais.


Cininha de Paula tenta, mas não há muito o que fazer para tentar salvar um material tão frágil, cujo protagonista é uma caricatura mal feita dos programas de humor dos anos 70 quando tentavam fazer graça com gays. Curiosamente, Crô faz enorme sucesso com o público infantil.

E pra não dizer que tudo foi perdido, o destaque vai para o novato Jefferson Schroeder, que interpreta magistralmente a transexual Geni. Sua atuação é tão convincente que o público demora certo tempo para perceber que a personagem é interpretada por um homem.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now