O MELHOR ESTÁ POR VIR (Le Meilleur Reste à Venir)


Extraindo maravilhas do cotidiano

Normalmente somos levados a crer que o cinema francês, com exceção do grande ator/diretor Jacques Tati (1907- 1982) não possui uma verdadeira tradição, ou melhor, "vocação" para a comédia, devido ao caráter mais autoral e portanto "cerebral" que sempre vigorou na quase totalidade da produção cinematográfica francesa por várias décadas (e de certo modo vigora até hoje).


Por isso mesmo, é sempre uma agradável surpresa quando surgem novos filmes que desmentem essa tão alardeada "falta de vocação para o humor" por parte dos realizadores franceses, como é o caso da simpática e divertida comédia O Melhor está por Vir, dirigida por Matthieu Delaporte e Alexandre de La Patellieri (ambos também realizadores de Relacionamento à Francesa, 2016).

Amparados por um ótimo elenco, com destaque para a dupla de protagonistas Patrick Bruel (Paris-Manhattan, 2013) e, sobretudo, para Fabrice Luchini (A Garota de Mônaco, 2008). O timing desta dupla é perfeito, tanto para a comédia quanto para o drama, aliás, permitindo a ambos extraírem humor até mesmo de situações que normalmente seriam vistas como bastante pesadas, envolvendo, por exemplo, o grave estado de saúde em que um deles se encontra. Mas nada aqui envolve apelação ou mau gosto na forma como as situações são apresentadas, pelo contrário, a leveza com a qual tal tema é aqui abordado só nos permite criar uma absoluta empatia pelos personagens. Portanto, ponto também para a dupla de diretores/roteiristas, Matthieu Delaporte e Alexandre de La Patellieri pela singeleza com que conduzem esta trama.

O veterano Fabrice Luchini realmente conduz seu personagem, um autêntico estereótipo do sujeito chato e metódico com maestria. Poucos atores no cinema francês contemporâneo - talvez com exceção apenas de Daniel Auteuil (A Outra Mulher, 2018) - são capazes de mesclar com tanta perfeição elementos de drama e humor na composição de seus personagens como ele aqui o faz.

Patrick Bruel por sua vez, também não deixa quase nada a desejar na composição de seu personagem, um autêntico bon vivant que adora seu amigo certinho e antiquado, chegando inclusive a paparicá-lo bastante, mas, claro, utilizando apenas o cartão de crédito do próprio amigo para presenteá-lo (risos).

"O Melhor está por Vir", uma boa prova de que os franceses sabem sim (e às vezes até muito bem) como nos fazerem rir.


This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now