AS AVENTURAS DE TADEO E A TÁBUA DE ESMERALDA (Tadeo the Lost Explorer and the Emerald Tablet)



QUANDO HISTÓRIA E FICÇÃO CAMINHAM JUNTAS


por Ricardo Corsetti


Terceiro filme da saga do simpático arqueólogo Tadeo, iniciada em 2013, As Aventuras de Tadeo e a Tábua de Esmeralda combina fatos históricos com muita ficção, mas o faz com competência e boa dose de diversão.

É fato que Hollywood sempre diluiu elementos históricos em filmes comerciais dedicados ao grande público, muitas vezes chegando a criar um verdadeiro pastiche da realidade histórica.


Como aqui falamos de um filme de animação, dedicado sobretudo ao público infanto-juvenil, é até compreensível a tendência à não fidelidade absoluta aos fatos históricos, mas, visto que o jovem diretor/roteirista espanhol Enrique Gato (As Aventuras de Tadeo, 2013) conduz sua trama com muita competência e sem exagerar na diluição da história real aos quais cita ao longo do filme, o resultado até que é bem positivo.


O inegável carisma da dupla formada pelo protagonista Tadeo e seu fiel parceiro, a divertida Múmia fanática por tecnologia e redes sociais, também colabora muito para o êxito do filme.



Destaque ainda para a arrogante e involuntariamente divertida faraó Ra-Amon-Ha (ou simplesmente, Ramona) que logo descobrirá o imprescindível valor da amizade ao conviver com o ingênuo Tadeo e a atrapalhada Múmia.


Com produção caprichada e ritmo ágil, As Aventuras de Tadeo e a Tábua de Esmeralda tem tudo para divertir e a agradar a garotada nesta primavera à brasileira que agora se inicia.