BRASIL GAME SHOW 2019



Um mega evento gamer que se sujou feio este ano


por Jhuliano Castilho


A Brasil Game Show cresce a cada ano, e a deste ano estava enorme. A maior da América Latina. Havia stands enormes, como o do Facebook Gaming e o do Youtube Gaming.

Vale um destaque inicial para a área de Arcade, que sempre é lotada e cem jogos retrô que garantem a diversão. Como não poderia faltar, a Nintendo e a Microsoft com o Xbox One e o Playstation com o PS4+VR.



Outro grande destaque foi o Fortnite, que sozinho tinha um grande stand, mostrando a grande popularidade dos jogos Battle Royale. Oque fez falta foi lojinhas vendendo games como a feirinha com jogos antigos em promoção de anos anteriores. Seria bem legal que fosse possível comprar jogos raros ou até consoles durante a feira, mas ao contrário de promoção os preços lá ainda eram mais caros ou o mesmo do mercado fora do evento.


Teve o tradicional concurso de cosplay, lindo como sempre, mas a grande polêmica do ano foi justamente com um do Coringa que acabou parando no hospital, muito machucado, e acusou os seguranças do evento de tê-lo espancado. Motorista de Uber de 34 anos, Michael Giordano fez uma denúncia acusando 12 pessoas de agressão, ameaça de estupro e roubo. Eles supostamente trabalhavam como seguranças do BGS no domingo (13/10).


"Fui até o carro pegar minha maquiagem e tomar água. Perguntei para os seguranças que estavam lá dentro se poderia voltar, eles disseram que sim. Liguei para o meu sobrinho, que estava com o dinheiro, ele disse que não poderia entrar. Fui até o mesmo portão que entrei, disseram [os seguranças] que eu não poderia voltar. Em seguida, comecei a ser atacado violentamente", conta Michael.


Conforme uma tomografia feita na segunda-feira (14/10), no Hospital Geral de Taipas, foram constatadas diversas fraturas nas costelas, além de pneumotórax, presença de sangue no pulmão e secreção na traqueia.



Ameaça de estupro

Para o cosplayer, os agressores teriam achado que ele era homossexual, pois estava usando uma roupa de enfermeira, mesmo traje usado pelo Coringa no filme Batman: O Cavaleiro das Trevas, de 2008. Na cena, o vilão explode um hospital.

Contou ainda que, durante a tortura, os homens diziam que usariam um cabo de vassoura para estuprá-lo. Também disse que teve um cigarro apagado na parte de trás dos joelhos e que os suspeitos teriam afirmado que eram policiais, algo que ele não acredita.

A Brasil Game Show emitiu um comunicado oficial na noite de quinta-feira (17/10) para falar do caso de tortura. A organizadora alega ter suspendido os serviços da empresa de segurança terceirizada envolvida no caso:

“É em respeito ao público fã da BGS e a todos que nos acompanham nessas 12 edições, que agora informamos que a empresa de segurança terceirizada envolvida no caso teve o seu contrato suspenso até a completa apuração dos fatos e estamos buscando todas as provas para punir os culpados com todo o rigor da lei”.


Há uma segunda versão que diz que Michael teria sido expulso do evento pelos seguranças por assediar garotas e foi espancado ao tentar voltar para o evento.

Esta versão não tem base, já que a vítima estava no evento com sua namorada e seu sobrinho. E mesmo que seja a verdade, os seguranças em hipótese alguma, poderiam ter feito o que fizeram.


A BGS ter rescindido o contrato com a empresa de segurança é algo muito pequeno em proporção ao ocorrido. Triste ver um ser humano ser tratado desta forma e ninguém ser punido.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now