O LENDÁRIO CÃO GUERREIRO (Paws of Fury: The Legend of Hank)



QUANDO CLÁSSICAS REFERÊNCIAS ADULTAS, RESULTAM NUM BOM FILME INFANTIL



por Ricardo Corsetti


O eterna rixa entre cães e gatos, sem dúvida, resultou aqui num ótimo filme, sobretudo destinado ao público infantil, mas que - graças às clássicas referências claramente presentes em sua composição - irá agradar bastante o público acima dos 40 anos.

De Banzé no Oeste (1974), misto de western com comédia dirigido pelo grande Mel Brooks (que assina aqui a produção executiva, aliás) até a ultra clássica série televisiva setentista Kung Fu - estrelada por David Carradine (Kill Bill volumes 1 e 2 , 2002-2004) -, todo um arsenal de referências que, sem dúvida, irão ativar a memória afetiva dos quarentões e cinquentões de plantão, são vistos ao longo de O Lendário Cão Guerreiro.


De forma leve e bem humorada, por meio da repulsa inicial da grande cidade controlada por gatos onde se desenrola a trama, em relação à figura de um simpático cão que sonha em ser samurai, temas como preconceito e não aceitação ao diferente são aqui discutidos.



O trio de diretores Rob Miankoff (O Pequeno Stuart Little, 1999), Mark Koetsier (estreante) e Chris Bailey (Olivier e sua Turma, 1988) mostra muito talento em termos técnicos e narrativos.


Diversão garantida para praticamente todo típico de público, A Lenda do Cão Guerreiro realmente merece uma boa conferida.