FESTIVAL DE CURTAS-METRAGENS - JÚRI

Andreu Jacob

maestro

Espanhol de Barcelona, Andreu Jacob reside atualmente na Noruega. Éé considerado um dos compositores modernos em destaque no cenário internacional. Compositor e orquestrador premiado, participou de muitos festivais internacionais de jazz e se apresentou em vários países como: Espanha, Portugal, França, Alemanha, Polônia, Suíça, Dinamarca, Noruega, Suécia, EUA, Reino Unido etc.
Compositor de inúmeras trilhas-sonoras para longas de ficção, documentários e publicitários, suas trilhas estiveram presentes em festivais internacionais como Festival de Cannes (França), Manhattan Film Festival (EUA), Artic Open International Film Festival - Arhangelsk (Rússia) e International Film Festival (Shangha), etc. Atualmente trabalha com produtores de cinema como Epic Lands Production (Rússia), CPPB Intertainment

(Canadá) e Integral Film AS (Noruega) com produções fundadas pelo The Norwegian Film Institute, entre outros. É membro de Norsk Jazz Forum (Noruega), AIE (Espanha) e SGAE (Espanha).

Compôs para vários artistas visuais altamente valorizados, por exemplo: Gottfried Helnwein, Serge Marshennikov, Dmitry Borisov, Peter Gric, Ian Brodie, etc. Ministrou Master Classes em conservatórios internacionais e Universidades de Música, contribui com frequência para artigos, demonstrações ao vivo e suporte técnico para um grande número de empresas e revistas.

Ao longo de sua carreira profissional, empresas internacionais bem conhecidas da indústria da música o patrocinaram como Zildjian, Evans, Tama, Clavia, Casio, Native Instruments, CM Pro "Indiegogo/Air Xkey", Steinberg, Propellerhead, Music Distribución, Musicmania, Ventamátic, Directworld, Adagio, Phantom Sound, Sound Art, Microfusa, MI7, Sibelius, PRK Percusión, M. Kozak e Udus S.Pardo.

Paulo Cursino

roteirista e diretor

Cineasta, autor de cinema e televisão, com mais de 25 anos de carreira e roteirista de maior bilheteria da retomada do cinema nacional, seus filmes já levaram mais de 34 milhões de espectadores às salas brasileiras. Paulista de Taubaté, publicitário
de formação, com especialização em marketing pela ESPM de São Paulo, começou a trabalhar na televisão na TV Globo onde foi colaborador e redator-final, de programas de humor e seriados como Sai de Baixo, Sob Nova Direção, A Grande Família, Os Caras de Pau, entre outros. No cinema, começou roteirizando filmes infanto-juvenis para Renato Aragão como Didi, o Cupido Trapalhão, uma das maiores bilheterias nacionais de 2003.

 

Em 2011 escreveu seu primeiro longa-metragem de sucesso, De Pernas pro Ar, estrelado por Ingrid Guimarães e em parceria com Marcelo Saback. O filme foi a maior bilheteria nacional do ano e indicado à Academia Brasileira de Cinema ao prêmio de melhor roteiro. O texto também foi vendido para países como México e Coréia do Sul onde a obra ganhou refilmagem local. O sucesso rendeu uma sequência de sucesso ainda maior, De Pernas pro Ar 2, com quase cinco milhões de espectadores. Em 2012 desenvolveu o argumento e o roteiro da franquia Até que a Sorte nos Separe, filme que gerou a primeira trilogia de comédia do cinema brasileiro, com mais de 10 milhões de espectadores no total. O viés voltado para a indústria e para filmes populares fez com que se tornasse um dos produtores mais solicitados do mercado. Nos últimos cinco anos escreveu e produziu outros diversos filmes de sucesso, entre eles O Candidato Honesto 1 e 2, Um Suburbano Sortudo, Fala Sério, Mãe! e Divórcio, premiado pela Academia Brasileira de Cinema como melhor comédia de 2017. Em 2018 foi criador e produtor de Os Farofeiros, novamente a comédia de maior bilheteria do ano e já estabelecendo nova franquia com segundo e terceiro filmes previstos para 2021 e 2022. Atualmente está produzindo No Gogó do Paulinho, comédia infanto-juvenil com Maurício Manfrini, na pele do personagem Paulinho Gogó. Também finaliza o roteiro e está na pré-produção de Mussum, o Filmis, sua primeira cinebiografia, que contará a história do comediante Mussum, que será rodado em 2020 e com lançamento previsto também para 2021. Seus roteiros já foram adaptados para outros países com sucesso, sendo o mais recente o The Honest Candidate, na Coréia do Sul, e Pobre Família Rica, adaptação de Até que a Sorte nos Separe que será lançado no México em maio de 2020. Atualmente está sob contrato da Netflix, onde escreverá e produzirá três longas-metragens originais, integra o Conselho Superior de Cinema e é membro do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual.
 

Sergio Rezende

roteirista e diretor

Cineasta carioca, seu primeiro longa-metragem - o documentário Até a Última Gota (1980) - recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado, o prêmio de melhor documentário no Festival de Mannheim, na Alemanha, e uma menção honrosa no Festival de Havana. Antes, já havia realizado três curtas: Pra Não Dizer que Competi (1974), Leila para Sempre Diniz (1975), em codireção com Mariza Leão, e P.S. Te Amo (1977).

 

O Sonho não Acabou, seu primeiro longa-metragem de ficção, recebeu o Prêmio da Crítica no Festival de Gramado em 1982. Com O Homem da Capa Preta (1985), um perfil de Tenório

Cavalcanti, foi o grande vencedor do Festival de Gramado de 1986, iniciando uma trilogia sobre importantes personagens da história do país, completada com Lamarca (1994) e Mauá - O Imperador e o Rei (1999).

Em seguida realizou Doida Demais (1989) e dirigiu a produção inglesa A Child From the South (1992). Em 1997 dirigiu Guerra de Canudos, a maior produção brasileira até então, e também a maior bilheteria do cinema brasileiro daquele ano, com cerca de 650 mil espectadores. O longa participou do Festival de Berlim e foi exibido na televisão em formato de minissérie, na TV Globo.

 

Com Quase Nada (2000), recebeu o prêmio de melhor filme do júri popular em Gramado. Seus filmes mais recentes são Zuzu Angel (2005), Salve Geral (2009) e O Paciente (2018).
Ainda tem o inédito O Jardim Secreto de Mariana (2019) aguardando lançamento.

Emílio de Mello

ator e diretor

Ator formado pela Escola de Arte Dramática de São Paulo e pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Iniciou sua carreira em São Paulo no ano de 1987, ao ingressar na Companhia Teatral São Paulo-Brasil. Em 1989, se transfere para o Rio de Janeiro para interpretar Juliano em A Estrela do Lar de Mauro Rasi. Na sequência, interpretou o alter-ego de Rasi nos espetáculos Viagem à Forli (1992) e Pérola (1995/1998). Atuou em várias montagens de textos clássicos, como Antígona de Sófocles (1991), direção de Moacyr Góes, As Três Irmãs de Anton Tchekhov (1998), direção de Bia Lessa, O Avarento de Moliére (2000), direção de Amir Haddad, Credores de August 

Strindberg (2003), direção de Antonio GilbertoEnsaio Hamlet, inspirado na obra de Willian Shakespeare (2006/2008) e Gaivota - tema para um conto curto (2006/2008), adaptação do clássico de Anton Tchekhov, ambos sob a direção de Enrique DiazNo final de 2000 foi agraciado com a Bolsa Virtuose e passou um ano entre Paris e Moscou desenvolvendo uma pesquisa sobre a metodologia do trabalho do ator, trabalhando, entre outros, com Arianne Mnouchkine, Ushio Amagatsu, Ferruccio Soleri, Alain Ollivier e Anatoli Vassiliev.
De volta ao Brasil em 2002, participa, dentre outros espetáculos, de A Prova (2002) sob a direção de Aderbal Freire Filho, Baque (2005) e Fluxorama (2013) com direção de Monique Gardenberg, In On It (2009/2011), direção de Enrique Diaz e Os Realistas (2016/2018), sob a direção de Guilherme Weber.
Entre seus principais trabalhos no cinema estão os longa-metragens Veja Esta Canção de Carlos Diegues, Amores Possíveis de Sandra Werneck, Querido Estranho de Ricardo P. e Silva, Cazuza- o Tempo não Para de Sandra Werneck e Walter Carvalho, Veneno da Madrugada e Aos Pedaços, ambos de Ruy Guerra, Cara ou Coroa de Ugo Giorgetti, Fala Comigo de Felipe Sholl e Divino Amor de Gabriel Mascaro.
Na TV, participou das novelas Cordel Encantado, Lado a Lado, Sete Vidas e O Outro Lado Do Paraíso, todas na Rede Globo. Participou também da serie Reality Z da Netflix, com direção de Claudio Torres e protagonizou 4 temporadas de PSI, série de Contardo Calligaris pela HBO, pela qual foi indicado ao EMMY Internacional 2015 na categoria de Melhor Ator.
Fez a Direção Teatral dos espetáculos O Homem Inesperado (2006) de Yasmina Reza, Sonho de Outono (2009) de Jon Fosse e Deus da Carnificina (2010) de Yasmina Reza, Balada de um Palhaço de Plínio Marcos e Estranhos.com de Laura Eason Atualmente, se prepara para assinar a preparação de elenco de uma série da Disney e para participar da segunda temporada de Irmandade da Netflix.

Maurício Hirata

diretor e diretor de fotografia

Atua há mais de 20 anos de no setor audiovisual brasileiro tendo ocupado posições de liderança nos principais órgãos e empresas públicas responsáveis pelas políticas de estímulo ao setor como TV Cultura, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e ANCINE. Possui larga experiência na realização de documentários para televisão tendo sido Coordenador do Programa DOCTV, realizado pela TV Cultura de São Paulo, e responsável pela realização de 115 documentários brasileiros em 4 anos.

Foi ainda Diretor e Diretor de Fotografia do videclipe Primavera da Banda Los Hermanos, indicado ao prêmio de Melhor Vídeoclipe do Ano no prêmio Vídeo Music Brasil - VMB do canal MTV Brasil.

Diretor de Fotografia do premiado curta-metragem Historietas Assombradas para Crianças Mal-criada, que deu origem a série animada homônima exibida no canal Cartoon Network.

 

É também sócio-fundador da MHF Audiovisual, empresa de consultoria focada na prestação de serviços de consultoria em gestão de negócios, conformidade regulatória e legislação do audiovisual.

Matheus Nachtergaele

ator e diretor

É um dos maiores expoentes do cinema, teatro e teledramaturgia brasileiros. 

Com a companhia teatral Teatro da Vertigem conquistou reconhecimento nacional. Seu sucesso estrondoso o levou à TV Globo e logo em seu primeiro papel ganhou notoriedade, na minissérie Hilda Furacão, quando interpretou a personagem Cintura Fina. 
Destacou-se ainda mais, sendo lembrado até hoje, como João Grilo na série e no filme O Auto da Compadecida, baseado na obra de Ariano Suassuna; sendo nesta produção que levou o Grande Prêmio do Cinema Nacional, na categoria de Melhor Ator.

É um dos atores brasileiros mais renomados, prestigiados e premiados. 

Já em seu primeiro filme atuando como diretor, Matheus Nachtergaele recebeu prêmios e indicações, inclusive no prestigiado Festival de Cannes, elevando seu nome também no cenário internacional. 

Considerado um dos atores com maior sensibilidade no meio artístico, interpretou grandes personalidades, como o carnavalesco Joãozinho Trinta e o cineasta José Mojica Marins – o Zé do Caixão.

Julio Uchôa

produtor

Carioca, nascido em 1964, formou-se em psicologia pela PUC do Rio de Janeiro. Em 1996, fundou a Ananã Produções, que atua em diversas áreas, desde produção cultural e audiovisual à edição de publicações. Como produtor executivo, realizou Navalha na Carne (1996), de Neville D´AlmeidaBellini e a Esfinge (2002), de Roberto Santucci e As Alegres Comadres (2003), de Leila Hipólito, entre outros, incluindo trabalhos para TV e rádio e institucionais. Também produziu Meteoro (2007), de Diego de La TexeraSem Controle (2007) e SOS - Mulheres ao Mar 1 e 2 (2014), de Cris D´AmatoShow de Bola (2008), de Alexander Pickel, uma coprodução com a Alemanha, Tempos de Paz (2009) e Chico Xavier (2010), ambos de Daniel Filho, entre vários outros. Em 2017, produziu a comédia Eu fico loko, que levou mais de 500 mil espectadores ao cinema. 

Reuniões de Júri

Ficção

Documentário

Animação

Com Matheus Nachtergaele, Julio Uchôa

Paulo Cursino e Sergio Rezende

Com Julio Uchôa, Andreu Jacob,

Emílio de Mello e Maurício Hirata

Com Emílio de Mello, Andreu Jacob,

e Maurício Hirata

CONCURSO DE ROTEIROS - JÚRI

Marcílio Moraes

Marcílio Moraes nasceu em Petrópolis, RJ. Contista, romancista, dramaturgo, autor-roteirista.

Estudou Letras na antiga Faculdade Nacional de Filosofia, FNFi. Foi professor, tradutor, jornalista, crítico de teatro, publicitário, revisor, dicionarista e assessor técnico da Fundação Nacional de Arte – Funarte.

Carlos Henrique Marques

Publicou seu primeiro conto em 1969, na revista Cadernos Brasileiros. No início da década de 70, escreveu contos e, sob pseudônimo, livros de aventura vendidos em bancas de jornal.

Em 1974 começou a escrever para teatro. Entre suas peças estão Mumu – A Vaca Metafísica, Sonata sem dó, Correntes Aracelli. Ganhou prêmios do antigo Serviço Nacional de Teatro e prêmio de Revelação de Autor, da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA.

 

Na década de 80, passou a escrever para televisão. Iniciou sua carreira na Rede Globo, numa minissérie de Ferreira Gullar e Armando Costa, chamada A Juíza (inédita). Depois fez Roque Santeiro, com Dias Gomes. E continuou nas telenovelas. Escreveu Roda de Fogo, Mandala, Mico Preto, Sonho Meu e o remake de Irmãos Coragem, além das minisséries Laércio é Nosso Rei, Noivas de Copacabana, Dona Flor e Seus Dois Maridos e Chiquinha Gonzaga, e especiais, A Grande Família, O Dia Mais Quente do Ano Aventuras de um Barnabé.

 

No final de 2002, saiu da Globo e lançou seu primeiro romance, O Crime na Gávea, pela editora 7 Letras (2003). Foi eleito presidente da Associação dos Roteiristas, cargo que ocupou até 2010.

Em 2005, foi contratado pela TV Record, onde escreveu as novelas Essas Mulheres, Vidas Opostas (com a qual ganhou o Troféu Imprensa) e Ribeirão do Tempo, além dos seriados A Lei e o Crime (2009) e Fora de Controle (2011).

Seu romance O Crime da Gávea foi adaptado para o cinema e lançado em 2017.

Está no mercado audiovisual há mais de 20 anos. Iniciou a carreira como diretor e ator, tendo alguns trabalhos na televisão, teatro e cinema, passando a produtor até se encontrar como roteirista. Integra a equipe de roteiristas liderados pela autora Iris Abravanel, que já escreveram sete novelas e um seriado e atualmente estão na segunda temporada da novela As Aventuras de Poliana.
Carlos Henrique ganhou vários prêmios em festivais internacionais de roteiro. Hoje tem dois projetos de longa-metragem em andamento: um em Hollywood e outro no Reino Unido.

Antônio de Freitas

Antônio de Freitas nasceu em Goiânia - Goiás. Diretor de Arte, Autor Roteirista e Crítico de Cinema.

Se formou pelo Centro Sperimentale di Cinematografia di Roma e foi professor de arte e roteiro, crítico de cinema, contista, diretor de arte e cenógrafo e roteirista.

Nos anos 90 participou da concepção e produção das Séries Castelo Ra Tim Bum e Cocoricó na TV Cultura, Disney Cruj e Disney Club no SBT. No início dos anos 2000 fez o mesmo com  Patrulha Nick na Nickelodeon, 9mm São Paulo na Fox e Brasil Nex Top Model na Sony. Nos anos 2010 fez programas como Desafio da Beleza, Por um Fio, Cozinheiros em Ação e Que Seja Doce na GNT, 171 Negócios de Família na Universal, Máximo & Confúcio na TV Cultura.

Participou como consultor, colaborador e diretor de arte nos longas-metragens: Anésia, um Vôo no Tempo (Ludmila Ferolla, 2000), Os Xeretas (Michael Ruman, 2001), Magal e os Formigas (Newton Cannito e Michael Ruman, 2016), Querida Mamãe (Jeremias Moreira Filho, 2017), Carmo (Murilo Pasta, 2009) e Predestinado (Gustavo Fernández, 2020).

Atualmente é o autor do roteiro original que deu origem à Série Spectros na Netflix.

Vicente Vianna

Vicente Vianna tem uma produtora audiovisual chamada STUFF Filmes que atende empresas de grande porte, como VALE, Fundação Roberto Marinho, EMUSA, LIGHT, AVON, BROOKFIELD, NET/RIO, etc. Fez o roteiro e a direção de programas de TV para o Canal Futura – Sala de Notícias. Trabalhou na TV UniverCidade como Redator e Supervisor de Roteiros, tendo também ministrado a Técnica de Linguagem Audiovisual para Televisão aos alunos estagiários.

Vencedor do Concurso de videoclipe com o roteiro e direção para o músico Marcelo D2 promovido pelo canal Globosat Multishow/2006. Finalista, classificado entre os 10 melhores roteiros no concurso Dirija seu Talento, promovido pelo canal Globosat USA Network para todo Brasil. Roteirista e diretor do curta Gota d’água, participante do Primeiro Festival JB de Cine-Digital e do curta A Reunião feito no SENAC/RJ. Também escreve esquetes de humor para internet (algumas no programa que também produziu chamado Dedo Indicador) e contos ainda não publicados. Atualmente está filmando dois curtas de sua autoria.  

 

Formado pela FACHA/RJ em Jornalismo e Publicidade & Propaganda. Fez aulas particulares com Jorge Duran (roteirista de Pixote e Lucio Flávio - Passageiro da Agonia). Fez a Oficina de Roteiro da Rio Filme e inúmeros cursos de roteiro com profissionais da área.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now