Coletiva de Imprensa: O ESCARAVELHO DO DIABO


Em busca de um público fiel, o cinema vem buscando - há anos - por nichos que pudessem ser uma garantia de bilheteria. O fenômeno mais recente veio do cinema americano, com o frequente lançamento de filmes baseados em Histórias em Quadrinhos. Sua força se potencializa quando se associa à memória afetiva, e este é talvez o maior mérito de O Escaravelho do Diabo.


No último dia 4, aconteceu na capital paulista a Coletiva de Imprensa para lançamento do filme. Estavam presentes os atores Marcos Caruso e Thiago Rosseti, a produtora Sara Silveira e o diretor Carlo Milani. Ele revelou que há 12 anos buscava adaptar o livro homônimo para o cinema. Quando uma ideia é muito boa, é impossível não pensar: "como não pensei nisso antes?"


Um dos maiores êxitos da literatura infanto-juvenil, O Escaravelho do Diabo - de Lúcia Machado de Almeida - foi o primeiro livro lançado pela Coleção Vaga-Lume e já está na 27ª edição. Após a "descoberta" do diretor, é quase óbvia a perspectiva de se filmar outro dentre as dezenas de títulos da coleção, principalmente se as bilheterias corresponderem às expectativas.


Escrito por Melanie Dimantas e Ronaldo Santos, o filme conta a história de Alberto (Thiago Rosseti), um garoto de 13 anos cujo irmão mais velho Hugo (Cirillo Luna) é presenteado com um escaravelho e logo depois assassinado. Outros crimes similares acontecem e o jovem percebe que todos eles eram ruivos e foram presenteados com os besouros antes de suas mortes. Com isso passa a ajudar o delegado Pimentel (Marcos Caruso) a solucionar os crimes.



No livro, o protagonista é um estudante de medicina de 22 anos. O diretor comentou que optou por transformá-lo num menino nove anos mais jovem para tornar-se mais próximo do público infanto-juvenil, a quem se destina prioritariamente o filme.


Milani conta como foi a escolha do livro: "Eu li na escola aos 13 anos, filho de ator, ligado em bons textos, um dia chego de um curso de cinema, vejo o livro em cima da mesa que minha filha estava lendo pra escola e falei: Tá aí o próximo projeto".


A produtora Sara Silveira conta que a fictícia cidade de Vista Alegre teve como locação as cidades de Holambra, Amparo, Campinas, Monte Alegre do Sul e Jaguariúna.


O diretor explicou que o filme foi feito pra ser usado em escolas através de análises comparativas com o livro. Acerta ao apresentar cenas fortes, porém compatíveis com a classificação indicativa de 12 anos, público-alvo do longa. Também faz uma boa escolha ao trazer a história para os dias atuais.


Para quem já fez filmes com atores mirins, sabe que talvez a maior preocupação seja encontrar alguém tão jovem e com força interpretativa para conduzir o filme. Milani é bem sucedido ao escalar o jovem Thiago e sabiamente contrabalançar sua atuação com a experiência de Marcos Caruso. Uma grata surpresa é a presença do ator/roteirista/artista gráfico Lourenço Mutarelli, que está praticamente irreconhecível no papel do vilão da história.


O Escaravelho do Diabo é uma excelente opção de cinema voltado para o público infanto-juvenil - para quem o cinema nacional raramente se volta - e merece ser visto, não apenas por sua qualidade, mas também para que outros títulos da coleção possam ir para as telas de cinema.