A CURA (A Cure for Wellness)


Bem-estar gera Mal-estar

A ciência trouxe grandes progressos para a humanidade, não há como negar. Entretanto, o preço exigido foi a busca incessante pelo prazer prolongado muito veiculado pela propaganda.

Onde só há gente rica, bonita e jovem usufruindo de um estilo de vida conquistado na base da ambição e na desumanização muito frequente nos grandes centros urbanos espalhados pela terra, onde a pressão interna é maior e gera males à própria pessoa, aparecem os retiros e os spas longe das grandes cidades, oferecendo uma solução ao caos da modernidade, ou seja, A Cura. É essa a premissa do filme dirigido por Gore Verbinski, vencedor do Oscar de melhor animação por Rango (2011).


Lockhart (Dane DeHaan) é um ambicioso executivo de uma das maiores empresas de nova York que após fechar um importante negócio às custaa de chantagem, precisa ir ao SPA - localizado nos Alpes Suíços - e buscar Pembroke (Harry Groener), o CEO, para evitar problemas com a lei. Assim que chega, encontra um hospital pertencente ao Dr. Volmer (Jason Isaacs) e funciona como um refúgio aos seus pacientes na terceira idade e de saúde frágil oriunda da modernidade, usando a água e a falta de contato com o mundo exterior como a cura prometida enquanto enfrenta a péssima reputação do local pelos moradores.

Por sofrer um acidente e quebrar a perna, não lhe resta alternativa senão conhecer mais sobre o lugar enquanto se perguntar o motivo de ser impedido de levar Pembroke de volta a Nova Iorque. Lá, faz amizade com Hannah (Mia Goth), a única jovem paciente à espera da volta do pai quando estiver curada, que viveu desde pequena ali - isolada do resto do mundo - e o informa que ninguém jamais saiu daquele lugar. E a historiadora Dra. Victoria Watkins (Celia Imrie), ciente do passado daquele lugar, construído sobre as ruínas de um castelo que no passado pertenceu a um barão obcecado pela perpetuação da sua linhagem e da preservação dos laços de sangue através do casamento com a própria irmã, resultando na revolta dos camponeses.


O filme conta com um suspense baseado nos conhecimentos do protagonista em solucionar o mistério conforme as cenas se desenvolvem, na gentileza dos enfermeiros, na mudança de comportamento dos pacientes e na dúvida de Lockhart sobre o passado ao lado da mãe (Maggie Steed) e na nova vida no SPA. Os recursos utilizados envolvem nudez idosa, vermes de esgoto, alucinações e tortura hospitalar. Pra quem assistir, espere um terror psicológico.


This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now