COMO SE TORNAR UM CONQUISTADOR (How to be a latin lover)


Um passatempo divertido para ver com a família

Apesar de ter um inicio monótono, o filme Como se tornar um conquistador - dirigido Ken Marino (Gênios do crime, 2016) - tem uma crescente no decorrer bastante interessante, tornando-se engraçado e bem divertido.


O longa conta a história de Maximo (Eugenio Derbez), um homem que fica rico ao se casar com uma mulher de posses. Depois de anos se aproveitando e tendo uma vida de luxo é abandonado e se vê longe da fortuna que tanto gostava. Com isso, deve se contentar com uma vida menos abastada e vai procurar abrigo na casa de sua irmã mais nova que vive apenas com seu filho, mas está verdadeiramente pensando em seu próximo golpe.


Sara (Salma Hayek) vive sua irmã, que serve como voz da razão para o personagem e o impulsiona a colocar sua vida no eixo, ganhar responsabilidade e até passar a enxergar as situações de uma outra maneira.


Fica marcante ao longo do filme o laço familiar entre os dois, principalmente por conta do início, que os introduz quando pequenos. A trama beira uma comédia de "Sessão da Tarde", que estabelece a problemática central e pouco a pouco vai desenvolvendo a história de modo leve e divertido.


A narrativa caminha sobre o apelo emocional e sexual, chave infalível para conquistar o público, como se assumisse um lugar confortável pela receptividade da história clichê. O filme se assume como uma comédia familiar ou um besteirol escrachado, porém arranca risadas do espectador com os apelos já mencionados.

O ponto de enfoque é a mensagem sobre laços familiares e a sua importância sendo abordada de uma maneira bastante singular.



This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now