PACIFICADO


Prazeres, um Estado de Sítio - Busca pela Paz


Grata surpresa é ver um filme do qual você nada sabe e nada tem a esperar, mas acaba se surpreendendo por tamanha qualidade. O longa brasileiro Pacificado, é dirigido pelo estreante americano Paxton Winters e tem como um dos produtores Darren Aronofsky (Jackie, 2017). Ganhou há cerca de um mês a Concha de Ouro (Golden Shell) de Melhor Filme no 67º Festival de San Sebastián. Pacificado conta a história sobre a busca em ser alguém melhor em meio à violência e a iniquidade de um país. A cidade do Rio de Janeiro é usada apenas como alegoria para sustentar a brilhante narrativa do diretor. A qualidade do filme está na força da história, que é composta ainda por uma reveladora e poderosa intra-história, que se apresenta como o último soco no estomago por trás da realização do filme.


O diretor texano mudou-se para o Brasil há cerca de oito anos e passou a morar na comunidade do Morro dos Prazeres, no Rio de Janeiro, onde se passa a história do filme. A trama se concentra no retorno para a comunidade do personagem de Jaca - interpretado pelo belga naturalizado brasileiro Bukassa Kabengele -, vencedor do Silver Shell de Melhor Ator no Festival de San Sebastián, onde foi aclamado. Ex-líder da comunidade e traficante, Jaca volta para casa após cumprir 14 anos de prisão. E tudo o que ele quer é ficar fora do crime e viver em paz, mesmo em meio a todos os conflitos e problemas da comunidade. A trama se passa no período dos últimos dias dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, quando se dizia haver uma alegada trégua entre traficantes e a polícia carioca, mas esta tal pacificação era apenas ilusão.


Com roteiro escrito pelo próprio Paxton em parceria com Wellington Magalhães e Joseph Carter (Touro Indomável, 1980), aborda questões como dependência química, abusos e a brutalidade do trafico, mas sua ênfase está nas relações interpessoais, entre elas, a de Tati (Cassia Gil), de 13 anos, com sua mãe Andrea (Débora Nascimento), ou com o seu pai, Jaca. Enquanto Andrea se torna cada vez mais presa ao próprio vício, Jaca deseja apenas ter uma vida tranquila e abrir uma pizzaria, esta é uma das poucas coisas boas que ele trás consigo da prisão. Mas a comunidade do Morro se sente insegura e ameaçada pelo atual chefe do trafico local, interpretado pelo ator José Loreto. Por ter sido um chefe justo e hábil, os moradores recorrem à Jaca para resolver diversos problemas.

O retorno de Jaca também muda a vida de Tati, que deseja se aproximar e criar um vinculo com o pai que nunca conheceu. Ao mesmo tempo que lida com sua mãe, uma dependente química e com quem tem um relacionamento frio e distante, num ambiente vulnerável. Isso faz com que Jaca e Tati se aproximem, pelos mesmos motivos, o de não conseguirem se livrar da força invisível da tragedia do lugar. E assim, a tal vida pacífica que ambos querem viver parece ser cada vez mas uma ilusão, já que o ambiente não permite que se afastem daquilo que querem fugir. Mesmo que a conexão entre Tati e Jaca demore a existir, ela irá se desenvolver. O resultado final é um filme complexo que descreve a natureza igualmente complexa das relações humanas.


Sem se afastar da realidade das comunidades, Pacificado usa Jaca como um objeto de redenção e Tati como um símbolo de esperança, mesmo que para alcançar algo próximo da paz ambos precisem fazer escolhas difíceis. Este é um filme em que a violência é mais emocional e psicológica do que explícita, e que mostra como um ambiente disfuncional pode ser um dos fatores de influência nas escolhas. A maioria dos personagens são afetados pelos mesmos elementos, direta ou indiretamente.


Ao apresentar todos esses fundamentos com bastante eficácia, Pacificado nos faz refletir sobre o sacrifício diário de se equilibrar enquanto andamos na corda bamba de nossas vidas e temos de escolher entre viver dignamente e não nos tornarmos vítimas ou agressores, em qualquer circunstância. Uma obra que vale muito a pena ser vista.


O filme também recebeu o prêmio de melhor fotografia, para Laura Merians, no 67º Festival de San Sebastián. Será lançado no Brasil pela Fox Film do Brasil.



This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now