TROMBA TREM (idem)


ANIMAÇÃO MADE IN BRAZIL E COM MUITA PERSONALIDADE


por Ricardo Corsetti


Como é bom ver um filme de animação made in Brazil que, embora esteticamente siga o padrão hollywoodiano, esbanja personalidade e senso de humor bem peculiar em sua temática!

Dirigido e co-roteirizado por Zé Brandão (autor do já lendário Irmão do Jorel, 2020), o filme diverte com inteligência ao narrar a história do simpático elefante Gajah, de anônimo funcionário de uma companhia ferroviária a celebridade instantânea, graças a um ingênuo vídeo de dança por ele protagonizado e postado num aplicativo (bem semelhante ao - hoje popularíssimo - Tik Tok).


Zé Brandão acerta mesmo em cheio ao satirizar o culto às celebridades instantâneas e absolutamente descartáveis, gerado pelo papel hegemônico que as redes sociais hoje exercem em nosso cotidiano.


Personagens simpáticos e bem brasileiros, tais como o calango Leso e a tamanduá vegana Duda, conduzem essa divertida trama de forma original e com um senso de humor muito próprio.

Claro que há, por se tratar de um filme primordialmente destinado ao público infanto-juvenil, a necessidade de fazer um julgamento moral quanto à atitude do protagonista Gajah - antes humilde e ingênuo - em relação a sua gradual transformação num poço de vaidade e arrogância após se tornar a "celebridade do momento", graças ao já citado medíocre videozinho de dança.


Já para agradar ao público adulto, não podia faltar a inevitável piada acerca de um "líder supremo que achava que a Terra era plana e assim fez seu povo passar muita vergonha" (risos).


Diversão deliciosamente antenada com os tempos atuais e brasilidade sem afetação e estereótipos (até porque o filme é protagonizado por um elefante africano), é o que Tromba Trem tem a nos oferecer. E que ótimo que seja assim!