ARTHUR MOREIRA LIMA - Um piano para todos




PROFISSÃO: ARTHUR MOREIRA LIMA


por Vicente Vianna


Em 2001 o pianista erudito Arthur Moreira Lima cansou de ser estrangeiro no seu próprio país, como ele mesmo diz, pois participou de muitos eventos e concursos internacionais nas Américas, Europa, Ásia, viajando o mundo com o seu piano. Então teve uma idéia, comprou um caminhão com o intuito de levar a sua arte de forma gratuita para a população brasileira carente em locais onde dificilmente presenciariam um concerto de piano. O caminhão palco foi desde a favela da Rocinha no Rio de Janeiro até a Oiapoque no Amapá, também pegando balsa pelo rio Solimões no Amazonas, passando por distritos minúsculos; como de Andrequicé de 2.000 habitantes em Minas Gerais. Ao todo foram 500 cidades brasileiras.

O diretor estreante Marcelo Mazuras escreveu um livro dessa empreitada chamado: O Piano e a Estrada. Por que não fazer um documentário do nosso maior pianista vivo?


Já tinham feito 400 cidades quando lançaram o livro, colocaram uma meta de mais 100 apresentações para o registro do documentário. Todo o planejamento da produção, os profissionais envolvidos, caminhão palco, a logística para o transporte do piano de cauda, só pôde ser viabilizado com os recursos do Ministério da Cultura de São Paulo e os patrocínios da Scania, Correios, Petrobras e Caixa Econômica Federal.


Mazuras foca o documentário no trajeto com alguns depoimentos do protagonista sobre sua vida. Usa imagens de arquivo do Jornal do Brasil, fotos da infância de Arthur e concertos da TV Polonesa em 4X3. Nada de depoimentos de próximos ao maestro para contar sua trajetória, ele prefere usar o encantamento da platéia ao ouvir o tocante som do piano. Vemos o impacto nos rostos das pessoas, crianças, jovens e idosos, ninguém fica impune.



Lembro-me quando via os filmes dos irmãos Marx onde sempre tinha um solo de piano e outro de harpa executados respectivamente pelos irmãos Chico e Harpo. Eu ficava preso, maravilhado com a música que mexe com a nossa emoção e também vi isso aqui no documentário, no público ao assistir o fantástico Arthur Moreira Lima.


Nosso maestro-mor quebra o paradigma que os concertos eruditos são elitistas. Arthur sabe exatamente o que significa a frase do humorista Millôr Fernandes: “A música de todas as artes é a única que te ataca pelas costas”.

Um documentário como esse requer mais cuidado com o áudio, desde sua captação até o produto final. A equipe de som está de parabéns. Murilo Correa (Som direto), Dênis Martins (operador de som), Mírian Biderman (supervisão e edição de áudio), Ricardo Reis (desenho de som e mixagem) e toda equipe de técnicos assistentes de som da Effects Filmes.


Vemos um Arthur já idoso que começou a estudar piano desde os 6 anos e recebeu seu primeiro dinheiro para tocar aos 8, embora reclame da infância perdida nas brincadeiras com as outras crianças, como o futebol que tem paixão como torcedor do tricolor carioca, compensou isso tocando o seu objeto de estudo ferrenho, o piano, com a execução do hino do Fluminense no Maracanã, na despedida do atacante Fred. A vida são escolhas que fazemos em detrimento de outras.


Esse incansável amor pela música é passado aqui pelo talentoso maestro que, sem dúvida, toca piano com elegância e técnica para se colocar como veículo dos compositores.

Especialista em Chopin, Liszt, Bach, Beethoven, também encanta com os brasileiros Ernesto Nazareth, Villa Lobos e os mais populares Pixinguinha e Tom Jobim. O documentário responde a uma pergunta que me passou pela cabeça: Após tantos anos de estudos interpretando os mestres da música erudita com maestria de uma sensibilidade beirando o espiritual, será que ainda sobra tempo para compor seus próprios arranjos?


É bom ver esse exemplo de ser humano que propaga a sua arte para os lugares mais inusitados, contemplando os brasileiros, numa ação social a ser seguida por outros músicos. Um deles, deve ter se inspirado no maestro, e quando terminou o programa de Jô Soares (1938 - 2022) na TV, o Derico, do Quinteto Onze e Meia, resolveu também rodar o Brasil em um caminhão-palco para um concerto itinerante gratuito para a população.


Hoje, Arthur Moreira Lima é um profissional de si mesmo. Sua profissão: Arthur Moreira Lima que leva com alegria a emoção da música para todos.