SING 2 (Idem)



SOB ENCOMENDA PARA AS FÉRIAS ESCOLARES


por Ricardo Corsetti


Com base no sucesso de Sing - Quem Canta Seus Males Espanta (Garth Jennings, 2016), a gigante Universal, obviamente, não perdeu tempo no sentido de aproveitar o período das tão aguardadas férias escolares em diversos lugares do mundo para lançar esta boa sequência da divertida animação protagonizada pelos simpáticos animais cantores.

O carismático e empreendedor - mas também ambicioso - coala Buster Moon, originalmente dublado por Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas, 2013), continua a ser o fio condutor da divertida trama, que basicamente consiste em conduzir um novo grupo de jovens talentos ao estrelato em Redshore, uma espécie de Las Vegas fictícia.


Mas, para tanto, o empresário artístico Buster Moon precisa de apoiadores e patrocinadores. E logo irá se dar conta de que no mundo do showbusiness apenas talento não basta, é preciso também uma forcinha de estrelas já consagradas. Por isso, o intrépido coala e sua nova trupe de artistas não medirão esforços para conseguirem convencer o agora recluso ex-astro da música Clay Calloway (originalmente dublado por Bono Vox, vocalista da banda U2) a ajudá-los nessa empreitada.


Daí em diante, a clássica trama envolvendo recomeço, superação de mágoas e corações partidos, etc; se desenrola para a satisfação do público infanto-juvenil e, por que não, também adulto, visto que aqui se abordam os dilemas cotidianos que nos acompanharão ao longo de toda a nossa vida, não é mesmo?

Muito bem realizado do ponto de vista técnico, graças à experiência do diretor/roteirista Garth Jennings, "Sing 2", embora sem apresentar grandes novidades em termos narrativos ou temáticos, cumpre bem sua função enquanto entretenimento leve e descompromissado.


O simpático filme tem, portanto, boas chances de repetir o sucesso de Sing - Quem Canta Seus Males Espanta e se tornar um dos grandes hits dessas férias escolares.