TOM & JERRY - O FILME (TOM AND JERRY)


DELICIOSA NOSTALGIA

por Ricardo Corsetti

Os já imortais "inimigos eternos" Tom e Jerry, sem a menor dúvida, figuram entre as melhores lembranças de infância e pré-adolescência de qualquer indivíduo com mais de 40 anos, talvez em qualquer do mundo, inclusive. Portanto, é absolutamente impossível para alguém dessa faixa etária (na qual me encontro, aliás) entrar numa sala de cinema para assistir a Tom e Jerry - O Filme e não reativar assim involuntariamente, todo um arsenal de memória afetiva em relação aos personagens.



O diretor Tim Story (Quarteto Fantástico, 2005) acerta ao manter a base do que sempre foi o tumultuado convívio entre os arquetípicos inimigos ao longo de suas vidas ficcionais, não se preocupando, inclusive, com a absoluta ausência de verossimilhança que sempre caracterizou as brigas dos mais famosos gato e rato do universo. Fato este que já gerou reações por parte da hoje em dia sempre vigilante patrulha do politicamente correto que qualificou o filme como "extremamente violento e inadequado para o público ao qual se dirige", o que já resultou em seu prévio banimento das plataformas de streaming.


Quanto a todo esse burburinho desnecessário, faço apenas um comentário pessoal: tais "portadores da verdade absoluta" e "guardiões dos bons costumes", simplesmente ignoram o fato de que aqui estamos falando de Cinema e, portanto, do campo específico da ficção onde, no meu entender, não há espaço para qualquer tipo de censura ou até mesmo excessivas cobranças quanto à verossimilhança de determinadas situações.



Para mim, onde o diretor erra um pouco é justamente na opção pelo formato live action, ou seja, na junção em cena de atores reais com os personagens de animação. Na minha modesta opinião, a presença de atores reais interagindo com aqueles que são indiscutivelmente os verdadeiros protagonistas da história (Tom e Jerry), mesmo levando em conta o carisma e talento de Chloe Grace Moritz (Obsessão, 2018), acaba prejudicando a fluência da trama que, no meu entender, funcionaria melhor se fosse conduzida apenas pelos ultra carismáticos "eternos inimigos".


Mas de qualquer forma, em termos gerais, é uma deliciosa experiência rever meus ídolos de infância aprontando suas inconfundíveis confusões na tela grande do Cinema.